Capa / Legislação / Num mercado aquecido, como pagar melhores salários?

Num mercado aquecido, como pagar melhores salários?

A remuneração variável ou premiações por produtividade, com indicadores de resultados aderentes ao negócio e visão de futuro, sendo orientada por metas e objetivos claros e tangíveis é uma excelente ferramenta de gestão salarial para empresas de todos os portes, especialmente num momento de pressão por aumento nos salários de mercado.
Os desafios de liderar um negócio são muitos e complexos, sendo a gestão de pessoas um deles. As indústrias focam o desenvolvimento e fixação das tecnologias na formação e retenção dos profissionais. Em prestação de serviços, com aplicação de mão de obra intensiva, as empresas lidam com um duplo desafio: Trabalhar os conceitos intangíveis de motivação e o engajamento do pessoal com os objetivos dentro de um negócio também intangível.
Independente do tipo do negócio ou segmento, nos ciclos de expansão econômica, além da falta de qualificação do trabalhador brasileiro, a pressão sobre os salários exercida pelo mercado é um elemento adicional na dinâmica de trabalho e decisões dos empreendedores e profissionais de recursos humanos.
A pressão por salários de mercado maiores é uma oportunidade especialmente para quem não dispõe de recursos financeiros abundantes como nas pequenas e médias empresas. O desafio e a oportunidade estão em repensar a forma de remunerar os profissionais individualmente e por equipe, combinando o salário fixo com uma parcela variável por resultados, com formatos aplicáveis não somente para a equipe de vendas, mas para todos da operação.
Qualquer que seja o tamanho do negócio ou empresa, os planos de remuneração variável com indicadores inteligentes e complementares de desempenho do negócio contribuem para estimular o trabalho em equipe, reduzir desperdícios de tempo e materiais, evitar paradas e quebras de máquinas, ganhos de agilidade no atendimento dos clientes, maior qualidade dos produtos e serviços entregues pela operação, aumentando o senso de pertencer e importância de todos os funcionários, e que naturalmente no curto prazo se refletirão nos resultados econômicos e rentabilidade do negócio no tempo.
Os programas de remuneração variável ou premiações por produtividade ao contrário do que se pensa, são auto financiáveis. Os ganhos de produtividade gerados dentro do negócio financiam os pagamentos dos valores adicionais aos funcionários, desde que se tenha um conjunto de indicadores de resultados aderentes ao negócio. Esta fórmula de remuneração por resultados, metas e objetivos é um modelo de sucesso nas empresas líderes de mercado em todos os segmentos que pode ser facilmente adaptado para pequenas e médias empresas para alavancar os negócios através do time de profissionais.
Como negociar a PLR sem que o lucro, faturamento e rentabilidade façam parte do plano?Acesse o artigo “Implementando o PPR ao invés do PLR” e descubra como ser mais competitivo e fortalecer a função RH junto à operação da empresa.
Marcelo Samogin, Diretor de Negócios da REMUNERAR, consultoria especializada em remuneração estratégica. Economista pela PUC-SP, com MBA pela FIA-USP e especialização pela FGV-SP. Atuou por mais de 23 anos como executivo de RH, especialista em remuneração e inteligência de negócios nos segmentos de indústrias, prestação de serviços e varejo de luxo. Contatos: contato@remunerar.com.br ou www.remunerar.com.br.
Sobre a REMUNERAR
A REMUNERAR foi fundada em 2010 e tem por missão desenvolver soluções inteligentes de remuneração e recompensa que transformem os desafios de produtividade e crescimento de seus clientes em oportunidades reais de ganhos e resultados diferenciados através das pessoas.
Fonte: Remuneração estratégica, por Por Marcelo Samogin

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

SIAMFESP